Poesia e fotografia: Entrevista com Fernando Lopes

outubro 19, 2015

No mês  no qual meu noivo  e eu completamos  5 anos juntos nós  nos casamos. Foi um casamento  no civil simples  e delicado com direito  à  bolo surpresa  e brinde depois. Um charme!
Para captar a sensibilidade  desse  momento  e a poesia do nosso amor escolhemos  nosso amigo e excelente fotógrafo (basta ver as fotos) Fernando Lopes.
Foto feita pelo Fernando Lopes em nosso casório! In love com a captação desse momento!

O trabalho dele me fascina. Por isso pensei em fazer uma entrevista na qual ele pudesse falar um pouco de seu trabalho e inspiração. 

Vem conhecer um pouco esse poeta da fotografia!
1.Quando você  percebeu  seu talento para fotografia?  Como foi sua iniciação no arte? 
Não sei precisar, sempre gostei de tirar fotos, sou do tempo da fotografia com filme, negativo etc. Mas nunca imaginei que poderia ter a fotografia como profissão, fui criado para pensar que apenas as profissões clássicas (advogado, médico, engenheiro, funcionário público etc). Eram realmente importantes, fotografia seria apenas hobby. Entretanto, vi na fotografia muito mais que um hobby, vi a minha felicidade, o meu antidepressivo, a minha conexão com o belo, com a beleza de registrar momentos.  
Meus pés/buquê! Tão lindo esse click!
2.Quais são  suas influências  ou elementos que mais influenciam sua visão  sobre a fotografia?
Gosto muito de observar alguns trabalhos de grandes fotógrafos como Josep Ruaix Duran e Sebastião Salgado, mas também de outros não muitos conhecidos, mas que podem servir de inspiração para meus trabalhos, e isso inclui alguns amigos que já estão no ramo a algum tempo.
3.Quais desafios enfrentou  no início da carreira? Quais ainda segue enfrentando?
No início é sempre mais complicado, adquirir os equipamentos, visto que a fotografia, tanto para hobby quanto para profissão, é muito cara, é preciso muita paciência e pesquisa para montarmos nosso acervo. Hoje, o que atrapalha, é a grande oferta de “fotógrafos” oferecendo um serviço, muitas vezes de péssima qualidade e com preço muito a baixo do mercado. Não basta ter uma câmera, é preciso muito estudo, equipamentos e cursos. Hoje, o que vejo, é que algumas pessoas não estão preocupadas com a qualidade, e sim com o preço, o que torna nossa profissão muito árdua, mas sei que existe um nicho de mercado muito grande para ser explorado e conheço meu potencial.
 
4.Vivenciou algum  tipo de preconceito (em relação  ao trabalho  de fotógrafo, em relação  a sua abordagem artística?)
O nu artístico ainda é tabu, muitas mulheres me procuram para fazer books para presentear o marido/namorado, mas muitas vezes são barradas pelo medo e receio da sociedade e até o próprio companheiro que não aceita esse tipo de trabalho. Acredito que isso vai mudar aos poucos.

5.Sobre seu processo criativo, quais são suas influências ou elementos te inspiram e fascinam?
O amor, procuro fotografar evitando o lugar comum, procuro fazer meus ensaios com naturalidade, sempre peço para meus clientes esquecerem que estou fotografando, para eles agirem de forma espontânea, a trabalho fluir muito melhor e as fotos saem belíssimas.

6.Como  tem sido sua  experiência de trabalho  na cidade (que tipo  de trabalho  tem feito)?
Sempre estou adquirindo conhecimento, aqui em salvador, como já foi citado, a “concorrência” é muito grande, mas não estão me faltando ensaios e eventos. Trabalho muito com fotografia de casamento, ensaio externo e eventos como formatura e aniversario.
7.Sobre seu equipamento  de trabalho, (se quiser pode falar do tipo) você  tem alguma dificuldade  em fazer  a manutenção  ou adquirir na cidade onde vive?
Salvador sempre foi um lugar muito difícil para se adquirir qualquer tipo de eletrônico, entretanto, ainda não tive nenhum problema muito grande, pois, muitas vezes compro através da internet e não tive problemas até agora.
Emocionante!
8.Em uma época  na qual há  uma  "explosão" de equipamentos e suporte aos equipamentos  semi profissionais  para amadores, na sua concepção, como um fotógrafo  consegue destacar seu trabalho dos demais profissionais  para se manterem no mercado?
Além do conhecimento técnico de fotografia, regras, conceitos, etc. É preciso ter sensibilidade no olhar, é preciso viver a fotografia, se emocionar. Muitas pessoas acham que por ter uma câmera (semi ou profissional), já se consideram fotógrafos de profissão, negligenciando a técnica, é preciso estudo.
9.Na sua compreensão, o que é imprescindível  na carreira de fotógrafo  ou no universo da fotografia?
A leitura, é preciso ler muito sobre fotografia, acompanhar outros fotógrafos, ser sempre humilde, querer aprender sempre, aprender com os erros.

10.Qual conselho  você daria para pessoas  que tem interesse  em iniciar a carreira de fotógrafo?
Desista. Rsrsr Brincadeira. Estude, leia, erre, busque conhecimento.
11.Se quiser, descreva  livremente  sobre algum elemento  que não  tenha sido abordado.
Estou com um projeto em andamento chamando “omnia vincit amor”, nele, eu abordo todo tipo de amor que se possa imaginar (amor consensual), pois o amor move o mundo. o projeto pode ser visto em minha pagina, a FL Fotografia. Confira também o Instagram da FL fotografia AQUI
Fotos do Ensaio “omnia vincit amor”

Bacana, né?! Para conferir mais do trabalho do Fernando é só clicar nos links do post. E para conferir os clicks que ele fez para meu casório é só me seguir no Instagram
Em breve tem vários posts sobre assuntos relacionados como casando sem stress, DIY decorativo, make e cabelo que eu mesma fiz...enfim! Tav com saudades de vocês!

Beijocas e até a próxima!


You Might Also Like

2 comentários

  1. Esse rapaz vai longe, realmente se encontrou na fotografia rssss. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Esse rapaz vai longe, realmente se encontrou na fotografia rssss. Bjs

    ResponderExcluir


Deixe seu comentário, Lindeza!

Twitter

Acompanhe por E-mail