Hollywood e o machismo nosso de cada dia

março 08, 2014

As Meninas Superpoderosas ganharam filme em 2001

Puxando pela memória entre os seus filmes favoritos, da infância até agora, quais possuem mulheres em papeis consideráveis? Ah, não vale contar os filmes com mocinhas em apuros à espera de salvação. Nem os que apresentam só uma mulher com relevância na história. Complicou um pouco? Talvez o problema não esteja na sua lista, mas no pequeno espaço que Hollywood reserva para personagens femininas.

Há alguns dias, vi a palestra (vídeo no final do post) de um homem chamado Colin Stokes que me fez pensar muito a respeito. Além de questionar o fato de os personagens femininos terem importância mínima em comparação aos masculinos, ele mostra como a representação da mulher no cinema pode nos ajudar a refletir sobre a maneira como homens e mulheres são vistos pela sociedade. E de como os filmes podem ajudar a moldar a personalidade das crianças. 

No vídeo, Colin fala de alguns filmes considerados clássicos ou de grande sucesso. Ele começa explicando como O Mágico de Oz foge dessa regra negativa. A protagonista, Dorothy, encontra duas personagens de grande importância na história: Glinda e a Bruxa Má do Oeste. Por que esse filme é uma exceção maravilhosa? Ora, tem mais de uma mulher com papel importante na trama, elas conversam, e não é sobre homem. Isso não é incrivelmente bom? 

Pode parecer bobagem falando assim, mas em boa parte dos filmes analisados por Colin quase não havia personagem feminina com papel relevante. E nos que eram exceção à regra, a personagem não dialogava com outra mulher (a menos que o assunto fosse homem). Para exemplificar, ele citou algo que foi um tapa na minha cara, porque é uma das minhas sagas favoritas: Star Wars. Já reparou que a Leia, em tese, possui os mesmos poderes (A Força) de Luke, só que não? Ela está lá, liderando uma revolução, mas ainda “sozinha” no espaço, já que não há outra mulher com papel digno. E, em vários momentos, é tratada como a princesa que precisa ser salva. Ah, vá! Mas calma, não é para ficar com raiva do George Lucas, é só para refletir. Os filmes são ótimos!

Existe algo chamado teste de Bechdel, criado em 1985 pela cartunista Alison Bechdel, que indica se um filme tem ou não participação feminina relevante. Sua aplicação consiste em três perguntas simples: 

  1. Há mais de uma mulher com falas (há grupos que consideram que as mulheres precisam ser nomeadas, mas a tirinha original de Bechdel não menciona isso)? 
  2. Essas mulheres conversam entre si?
  3. O assunto da conversa é algo além de um homem?

Se a resposta para todos esses quesitos for “sim”, o filme passou pelo teste. Acha que é brincadeira? Vamos aos dados. Colin Stokes destaca que, em 2011, apenas 11 dos 100 filmes mais populares tinham protagonistas femininos. E para fortalecer essas estatísticas vergonhosas, outro dado: uma pesquisa feita em 2013 pela New York Film Academy revelou que, em média, as mulheres têm apenas 30% dos papéis com falas nos 500 filmes mais vistos entre 2007 e 2012. Desses, apenas 6% contrataram um elenco balanceado (entre 45 e 55% de mulheres com falas). 

Mas como nas regras sempre há exceções, seguem mais exemplos de filmes que apresentam mulheres em papeis interessantes. Colin Stokes não tem uma opinião favorável a filmes com temáticas violentas, por acreditar que eles incentivem, indiretamente, a violência. No entanto, eu indicarei alguns aqui, por acreditar que tiveram personagens femininas fortes. 

Thelma & Louise (1991)

O filme é feminista. Ele se passa quase todo dentro de um carro, com as protagonistas fugindo de relacionamentos desastrosos, da polícia, e de tudo o que as oprime. Não tem final feliz, mas isso não faz dele um filme ruim. Recomendadíssimo! 

Kill Bill (2003)

A Noiva, personagem de Uma Thurman, é tão inteligente e habilidosa com artes marciais que faz você respeitá-la completamente. Como qualquer outro filme de Quentin Tarantino, tem muito sangue e as cenas de lutas não terminam de forma bonita. Mas é importante ressaltar que algumas das melhoras adversárias da personagem são mulheres.   

Alice no País das Maravilhas (2010)

Eu coloquei o filme do Tim Burton, ao invés da animação de 1951, por achar que ele se sai muito bem, tanto na história quanto na representação dos personagens femininos. Alice é inteligente e doce, mas também torna-se guerreira para salvar seus amigos. A vilã da trama é a Rainha de Copas e a Rainha Branca atua como uma espécie de conselheira.

Valente (2012)

Merida é uma das personagens mais cativantes que a Pixar já criou. E sua mãe tem tanta importância na história quanto a própria protagonista. Mãe e filha mostram que nem todo filme de princesa precisa de príncipe encantado para ter final feliz.

Frozen (2013)

Eu considero um dos filmes mais lindos da Disney, principalmente por fugir dos padrões. A história possui duas protagonistas mulheres, uma cutucada no tal do "Amor à Primeira Vista" e um final com uma mensagem maravilhosa. 

Em Chamas (2013)

O segundo filme da saga Jogos Vorazes foi aprovado no teste de Bechdel e lucrou muito nas bilheterias. Além de ter uma protagonista forte, que é tida como a esperança de uma nação oprimida, ele possui outras personagens femininas com destaque na trama.

Dia Internacional da Mulher

Aproveitando que hoje é dia da mulherada, vamos refletir. Já parou para pensar por que parece que estamos tão longe de conseguir a tão sonhada igualdade entre os gêneros? Se na maioria das vezes o que vemos são mulheres representadas como objetos ou incapazes de resolver os próprios problemas, como esperamos que a sociedade aceite o contrário? Que mulheres também podem ser heroínas e que devem ser tratadas com respeito. Veja o vídeo da palestra abaixo.



You Might Also Like

1 comentários

  1. É a pura verdade!! Nunca havia pensado por este lado..
    Mas também tem Olga e Evita, os quais os personagens principais mulheres fortes e que de alguma forma mudaram a história.

    http://diariodagrace.blogspot.com/

    Beijaozão, flor ;-*

    ResponderExcluir


Deixe seu comentário, Lindeza!

Twitter

Acompanhe por E-mail